A harmonia da bossa nova – Parte 3

A harmonia da bossa nova – Parte 3

A bossa nova é conhecida por suas harmonias rebuscadas, por seu refinamento melódico e pelo seu “balanço”. Aprender a tocar nesse estilo musical requer um estudo específico de suas características estético-musicais. Nessa terceira parte do post, ao tratar da harmonia da bossa nova, apresento alguns clichês recorrentes e faremos alguns exemplos sobre o uso dos acordes diminutos. Aproveite, no final desse artigo, a música “Copacabana 62”, com sua partitura, seu vídeo e base áudio.

Nos artigos anteriores iniciamos o estudo das características harmônicas da bossa nova. Temos observado que sua harmonia resulta obtida através do emprego de notas que enriquecem os acordes, como nonas, sextas, décimas-terceiras, etc. Dissemos também que um olhar mais atento revela muitas coisas interessantes desse gênero musical.

Ainda, na parte 1 e na parte 2 deste artigo, dividimos o estudo da harmonia da bossa nova em três camadas, que resumirei a seguir:

  • Estudo por tipologias de acordes: cada tipo de acorde possui sonoridades e tratamentos característicos;
  • Estudo de clichê rítmico-harmônicos próprios do estilo;
  • Voicings que representam a sonoridade da bossa nova ao piano.
Bossa nova ao piano

Neste novo post iremos abordar outras características interessantes, como:

  • Clichês rítmico-harmônicos recorrentes
  • O uso do acorde diminuto
  • Por fim estudaremos uma nova música

1. Clichês rítmico-harmônicos recorrentes

Os clichês que apresento a seguir são caracterizados por encadeamentos de acordes por quintas descendentes:

Exemplo 1

Observe o desenho realizado pela nota mais aguda de cada acorde. Note que se estabelece uma descida cromática, composta pelas notas 13 e b13 de G7, e, sucessivamente, pelas notas 9 e b9 de C7.

O exemplo seguinte mostra uma pequena variação, que introduz um acorde de dominante sus4,9:

Exemplo 2

Observe a realização dos exemplos 1 e 2:

Encontramos o clichê do exemplo 2 na música “Wave” (Tom Jobim):

Esse tipo de clichê rítmico-harmônico pode se repetir, envolvendo uma sequência mais extensa de acordes. Veja os próximos dois exemplos:

Exemplo 3

O exemplo 4 introduz os acordes de dominante sus4,9:

Exemplo 4

Observe a realização dos exemplos 3 e 4:

2. O uso do acorde diminuto

Prosseguindo com o estudo das características harmônicas da bossa nova, podemos destacar o uso frequente de acordes diminutos. Vejamos os exemplos a seguir:

“Eu sei que vou te amar” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes):

Eu-sei-que-vou-te-amar

“Wave” (Tom Jobim):

Wave-SEGUNDO

Há mais um acorde característico, que veremos aqui: o diminuto b13, esse bem característico da bossa nova. Vejamos os próximos exemplos:

“Corcovado” (Tom Jobim):

Corcovado

“Minha namorada” (Carlos Lyra e Vinicius de Moraes):

Minha-Namorada

3. Uma música para nosso estudo:

Vamos colocar em prática as características que apresentei aqui numa música. Observem na “casa 1” o clichê rítmico-harmônico que estudamos antes:

Copacabana 62

Veja, a seguir, os voicings utilizados para o acompanhamento dessa música. Em seguida, encontra o vídeo com sua realização.

Divirtam-se bastante ao tocar essa música junto à sua base.

Até a próxima!!

Turi Collura é pianista, compositor, músico profissional. Atua como professor em Cursos de Pós-Graduação, em Conservatórios e Festivais de música pelo Brasil e no exterior.Formado na Itália em Disciplinas da Música (Bolonha) e na Escola de Jazz (Milão), é Mestre pela UFES, e Pós-graduado pela mesma Instituição.Turi é Coordenador Pedagógico do Terra da Música e Professor de alguns cursos online. É autor de métodos em livros e DVD (Improvisação, Piano Bossa Nova, Rítmica e Levadas Brasileiras para Piano), alguns dos quais publicados pela Editora Irmãos Vitale e com tradução em inglês.Ativo na cena musical como solista, músico de estúdio e arranjador, tem participado da gravação/produção de diversos discos. Em 2012, seu CD autoral “Interferências” ganhou uma versão japonesa. Seu segundo CD faz uma releitura moderna de algumas composições do sambista Noel Rosa.

Deixe uma resposta