Dica de batera #12: Acentuação com Double Stroke

Acentuação é um tema importante para os instrumentistas em geral. Essa é a segunda vez que dedico um episódio da série para o tema, em especial, essa aula pode ser considerada como a continuação de estudo do artigo no 04, que é dedicado ao tema.

A partir da troca de figuras rítmicas, é possível “turbinar” suas levadas e frases de solo, usando o double stroke e os drags (rudimentos) como importantes recursos. Essa série de estudos promove um diálogo entre as figuras de semicolcheia e fusas.

O primeiro estudo que temos (abaixo), é um estudo de figuras rítmicas, ou seja, vamos praticar como acontece a troca de figuras, de semicolcheia para fusas, usando o single stroke para as semicolcheias e o double stroke para as fusas, observe:

Em seguida, vamos acrescentar diferentes acentuações. Essa levada de caixa aparece com frequência na música popular brasileira, seja no ijexá ou em outros ritmos.

acentuação

Vamos colocar o desenho de notas de base da caixa, ou seja, as notas que não estão acentuadas, como fusas em double stroke. Somente as notas acentuadas vão permanecer em semicolcheia, de forma que ajude no destaque dos acentos.

acentuação na bateria

Sobre essa levada de caixa, vamos acrescentar um ostinato de pés característico do Baião. É importante tomar cuidado, para não deixar que a acentuação do ostinato nos pés atrapalhe os acentos da levada de caixa.

acentuação de ritmos brasileiros

Para desenvolver o double stroke, brincar com esses estudos de acentos é importante. Outro caminho importante para desenvolver as suas viradas ou frases é usar os drags como um recurso. Antes de aplicar os drags sobre alguma frase específica ou clave, vamos entender como funciona esse caminho de estudo. Para todo acento que estiver na frase, vamos substituir a ultima semicolcheia, antes do acento desejado, por duas fusas, ou seja, um drag.

Observe abaixo a transcrição de quatro estudos de possibilidades de acentos, cada compasso é um estudo diferenciado que tem como principal objetivo, forçar a prática em todas as possibilidades de acentos em semicolcheias.

acentuação na rítmica

Usando esse recurso sobre claves ou levadas específicas, podemos criar diferentes sonoridades. Aplicando esse recurso sobre um padrão de caixa de frevo, temos uma levada de caixa com algumas informações a mais, que tem uma sonoridade bastante interessante.

acentos rítmicos

Além da acentuação característica do frevo na caixa, temos também uma levada de ostinato nos pés característica do ritmo pernambucano.

Podemos praticar ainda de diferentes formas, colocando o bumbo junto com os acentos das mãos, colocando diferentes ritmos de ostinato nos pés, distribuindos os acentos para os tambores e pratos, que gera frases diferentes para solos, entre outras inúmeras possibilidades.

Diferentes formas de praticar

  1. Pratique o estudo de acentos com fusas usando diferentes figuras rítmicas e claves, aumentando o seu repertório musical;
  2. Inverta os ostinatos, pratique a caixa característica do frevo com o ostinato de pés do baião, entre outros ritmos;
  3. Pratique sempre com o metrônomo e observe se a sonoridade das fusas estão em uma dinâmica piano;
  4. Faça o estudo sobre melodias de músicas que você goste, ou seja, pratique a melodia da música que deseja tocar como acentos e o restante da subdivisão como fusas em double stroke;
  5. Assista ao conteúdo do baterista pernambucano, Cássio Cunha. Ele tem diferentes formas de aplicação das famílias dos rudimentos para diversas levadas e claves.

Aproveite o material e bons estudos!

curso de bateria online

Mestrando em Performance Musical pelo Programa de Pós Graduação em música da UFRJ. Pós-graduado em "Artes na Educação" pelo CESAP, Licenciado em Música pela UFES e formado pelo Curso de Formação Musical com ênfase em música Popular pela FAMES (2013). Atua como baterista e Percussionista profissional e como professor.

Deixe uma resposta