Dica de batera #7: mixagem na bateria

A dica da semana do baterista Arthur Teles é sobre a mixagem do groove na bateria. O controle da mixagem tem relação direta com o estudo da coordenação motora na bateria. Confira o vídeo e os exercícios propostos.

Estudar e ter o controle da mixagem do seu groove é essencial para todo baterista, independente do estilo musical que o músico tenha a intenção de desenvolver no instrumento. O controle da mixagem tem relação direta com o estudo da coordenação motora na bateria, por isso, é necessário começar esse estudo usando padrões de levadas que você já use para tocar no seu dia a dia.

Controlar o volume de cada peça da bateria de forma independente, é algo que ajuda muito no som do groove de todo baterista. Nesse estudo temos uma levada a 3 vozes, podemos observar que existe acentuações diferentes em dinâmicas diferentes. Antes de iniciar a prática é fundamental que observe as dinâmicas de cada voz, siga todas as dinâmicas apresentadas na partitura e sugeridas no vídeo. A voz com o sinal de F, significa “forte”, o sinal P, significa “piano”. Observe o sinal para entender a dinâmica de cada voz antes da leitura.

Nessa dica temos o objetivo de utilizar acentos em diferentes dinâmicas e separar os acentos de cada membro, ou seja, vamos aprender a elevar o som do bumbo quando for necessário, sem alterar o som das outras peças na bateria, esse é o segredo de diversos bateristas consagrados e renomados para a sonoridade de groove.

A primeira prática que deve acontecer é executar a leitura, assim como está proposto na imagem abaixo, diferenciando cada voz em suas respectivas dinâmicas e acentos diferenciados, não deixe de assistir ao vídeo para perceber o som de cada estudo.

mixagem - método para bateria

No primeiro exercício, temos a voz do bumbo como a principal, representada na dinâmica F. Em seguida a caixa assume a função da dinâmica F, enquanto as outras vozes se mantém em dinâmica P.

mixagem para bateria

É importante que a sua acentuação em cada voz esteja proporcional, ou seja, um acento em uma dinâmica P, não deve soar na mesma intensidade de um acento em dinâmica F.

Em seguida a voz principal é a condução no Hi-hat, que por sua vez, assume a dinâmica F.

Agora, é importante que pratique com diferentes acentos independentes, ou seja, acentos nas vozes isoladas, assim como a prática no vídeo, buscando controlar a intensidade de cada membro ou peça da bateria. É importante observar os seus movimentos, para que possa monitorar, caso o Hi-hat esteja acentuando em algum local junto com o bumbo e vice-versa.

Os grooves utilizados e transcritos fazem parte do vocabulário de levadas que costumo tocar, o ideal é que você tenha essa prática em cima de levadas que você já toca, isso facilita muito o estudo e você vai alcançar o objetivo desejado, melhorar a sua mixagem na bateria.

Diferentes formas de praticar

  1. Busque estudar em andamentos lentos, de modo que, certifique-se que os acentos estão acontecendo de maneira isolada;
  2. Pratique sobre diferentes levadas e respeite sempre a idéia de uma voz na dinâmica forte e as outras em dinâmica piano;
  3. Observe como diferentes bateristas de diversos estilos tem o controle sobre sua mixagem. Veja as características de cada um, ex: quem toca utilizando o hi hat com muita intensidade, quem toca a caixa e o bumbo em uma intensidade maior, e relacione sempre a mixagem de cada um com o estilo ou gênero musical que esta em questão.

Aproveite o material e bons estudos!

Mestrando em Performance Musical pelo Programa de Pós Graduação em música da UFRJ. Pós-graduado em "Artes na Educação" pelo CESAP, Licenciado em Música pela UFES e formado pelo Curso de Formação Musical com ênfase em música Popular pela FAMES (2013). Atua como baterista e Percussionista profissional e como professor.

Deixe uma resposta