O círculo das quintas

Nesse post vamos conhecer algumas características do Círculo das Quintas, uma ferramenta interessante para aprendermos a calcular/memorizar as alterações das tonalidades

Evidenciando algumas coisas que acabamos de ver no vídeo:

O círculo das quintas se chama assim porque as tonalidades se sucedem por quintas, vejamos: a partir da tonalidade de C (que é o ponto inicial), do lado direito colocamos as tonalidades com os sustenidos.

Observamos que a nota G está uma quinta acima de C. A nota D está uma quinta acima de G, etc. Temos assim a sequência de quintas ascendentes C-G-D-A-E-B-F#-C#.

Do lado esquerdo colocamos as tonalidades com os bemóis. Observamos que a sequência é composta por quintas descendentes: C-F-Bb-Eb-Ab-Db-Gb-Cb.

Também as alterações das tonalidades se sucedem em sequências de quintas.

Observamos a sequência com que se apresentam as alterações nas tonalidades com os sustenidos:

Tonalidade de G: F#
Tonalidade de D: F# – C#
Tonalidade de A: F# – C# – G#
Tonalidade de E: F# – C# – G# – D#
Tonalidade de B: F# – C# – G# – D# – A#
Tonalidade de F#: F# – C# – G# – D# – A# – E#
Tonalidade de C#: F# – C# – G# – D# – A# – E# – B#

Reparamos que, ao procedermos de uma tonalidade para a sucessiva, acrescentamos uma alteração à(s) anterior(es). Notamos que as alterações também estão em relação de quintas ascendentes.

É útil memorizar a sequência com a qual se apresentam os sustenidos:

É interessante saber que, nas tonalidades com os sustenidos, a última alteração representa o sétimo grau da escala.

Por exemplo, na tonalidade de Ré maior, a nota C# (última alteração na sequência das alterações) é o sétimo grau da escala.

Mais um exemplo: na tonalidade de Mi maior, a nota D# é o sétimo grau da escala.

Observamos a sequência com que se apresentam as alterações nas tonalidades com os bemóis:

Tonalidade de F: Bb
Tonalidade de Bb: Bb – Eb
Tonalidade de Eb: Bb – Eb – Ab
Tonalidade de Ab: Bb – Eb – Ab – Db
Tonalidade de Db: Bb – Eb – Ab – Db – Gb
Tonalidade de Gb: Bb – Eb – Ab – Db – Gb – Cb
Tonalidade de Cb: Bb – Eb – Ab – Db – Gb – Cb – Fb

Reparamos que, ao procedermos de uma tonalidade para a sucessiva, acrescentamos uma alteração à(s) anterior(es).

Notamos que as alterações também estão em relação de quintas descendentes.

É útil memorizar a sequência em que se apresentam os bemóis:

É interessante saber que, nas tonalidades com os bemóis, vale uma “regrinha”, a partir de duas alterações: a tonalidade resulta ser a indicada pela penúltima alteração.

Observe, por exemplo, a tonalidade de Lá bemol: suas alterações são: Bb – Eb – <>Ab – Db.

Agora observe a figura a seguir:

A sequência com a qual se apresentam as alterações dos sustenidos: fá-dó-sol-ré-lá-mi-si é o inverso da sequência com a qual se apresentam as alterações dos bemóis: si-mi-lá-ré-sol-dó-fá.

Uma curiosidade para concluir

O círculo foi “inventado” por um estudioso alemão, Johann David Heinischen, o qual apresentou a idéia em um escrito de 1711 (Musikalisher Círcul) e aprofundou o assunto em um escrito de 1728.

Naquela época acabava de se estabelecer a afinação temperada, proposta por outro estudioso alemão, André Werkmeister, em 1691.

A proposta de Heinischen era a de representar, geometricamente, a relação de quintas que, através do novo sistema de afinação, compõem a oitava temperada, formada por doze semitons de igual distância entre eles.

Turi Collura é pianista, compositor, músico profissional. Atua como professor em Cursos de Pós-Graduação, em Conservatórios e Festivais de música pelo Brasil e no exterior.Formado na Itália em Disciplinas da Música (Bolonha) e na Escola de Jazz (Milão), é Mestre pela UFES, e Pós-graduado pela mesma Instituição.Turi é Coordenador Pedagógico do Terra da Música e Professor de alguns cursos online. É autor de métodos em livros e DVD (Improvisação, Piano Bossa Nova, Rítmica e Levadas Brasileiras para Piano), alguns dos quais publicados pela Editora Irmãos Vitale e com tradução em inglês.Ativo na cena musical como solista, músico de estúdio e arranjador, tem participado da gravação/produção de diversos discos. Em 2012, seu CD autoral “Interferências” ganhou uma versão japonesa. Seu segundo CD faz uma releitura moderna de algumas composições do sambista Noel Rosa.

Deixe uma resposta