O uso dos cromatismos nas escalas

O uso dos cromatismos nas escalas

Em algum dia de sua vida, qualquer ser humano da espécie dos “músicos improvisadores” se depara com a fatídica pergunta:

Como enriquecer as escalas de sete notas utilizadas em nossos solos?

Uma possibilidade é a de usarmos cromatismos a serem inseridos em nossas escalas diatônicas para enriquecer as melodias.

… mas não somente por isso…

Assista ao vídeo:

Uma das dificuldades, ao nos basearmos nas escalas para improvisar, é que as escalas são compostas por sete notas, enquanto os grupos de notas por compasso que estamos acostumados a tocar são pares (grupos de 2, 4 ou 8 notas em colcheias ou semicolcheias, por exemplo).

Nesse sentido, a adição de um cromatismo ajuda a construir frases com 8 notas. Mas há outras vantagens no uso de notas estranhas à escala.

No vídeo mostro, por exemplo, como, com o auxílio das notas de abordagem diatônico-cromática, podemos ampliar as possibilidades de chegarmos na nota desejada “na hora certa”.

Veja a figura ao lado: a frase linear, baseada na escala, resolve, de forma coerente, no terceiro grau do acorde de Dó. Se a frase do exemplo acima começasse por uma outra nota, como seria possível, ao chegar no acorde de C7M, terminar na nota Mi?

Adicionando um cromatismo à escala, ganhamos uma colcheia de tempo para chegarmos à nota Mi no tempo forte. De outra forma, podemos dizer que a adição da nota permitiu que a nota inicial e a nota final da escala coincidam.

Mais um exemplo em que a nota de partida e a de chegada coincidem. Além de útil para a resolução, me parece que o uso do cromatismo torna a escala mais interessante, do ponto de vista musical.

Turi Collura é pianista, compositor, músico profissional. Atua como professor em Cursos de Pós-Graduação, em Conservatórios e Festivais de música pelo Brasil e no exterior.Formado na Itália em Disciplinas da Música (Bolonha) e na Escola de Jazz (Milão), é Mestre pela UFES, e Pós-graduado pela mesma Instituição.Turi é Coordenador Pedagógico do Terra da Música e Professor de alguns cursos online. É autor de métodos em livros e DVD (Improvisação, Piano Bossa Nova, Rítmica e Levadas Brasileiras para Piano), alguns dos quais publicados pela Editora Irmãos Vitale e com tradução em inglês.Ativo na cena musical como solista, músico de estúdio e arranjador, tem participado da gravação/produção de diversos discos. Em 2012, seu CD autoral “Interferências” ganhou uma versão japonesa. Seu segundo CD faz uma releitura moderna de algumas composições do sambista Noel Rosa.

Deixe uma resposta