Pouco se cria, muito se copia: histórias de plágios ou coincidências?

Em outros posts mostramos “coincidências” musicais e “receitas de bolos” no âmbito da música pop (veja os artigos “Pop: quatro acordes que podem mudar a sua vida” e “The Gotye interval: mais uma receita para músicas de sucesso“).

Hoje o tema é o Heavy Metal. Nesse mundo musical, há quem diga que as composições são bastante repetitivas e que existem riffs (progressões de acordes ou de notas com uma marcada conotação rítmica) consagrados que fazem parte do idioma musical.

Mas há casos em que as semelhanças chegam a ser evidentes. Trata-se de plágio? Coincidências?

Os especialistas dizem que essa seleção é apenas uma pequena amostra do que, realmente, “rola” quando uma banda “cita” (toca?) outra.

 

Leia também: “The Gotye interval: mais uma receita para músicas de sucesso

Leia também: “Pop: quatro acordes que podem mudar a sua vida

Turi Collura é pianista, compositor, músico profissional. Atua como professor em Cursos de Pós-Graduação, em Conservatórios e Festivais de música pelo Brasil e no exterior.Formado na Itália em Disciplinas da Música (Bolonha) e na Escola de Jazz (Milão), é Mestre pela UFES, e Pós-graduado pela mesma Instituição.Turi é Coordenador Pedagógico do Terra da Música e Professor de alguns cursos online. É autor de métodos em livros e DVD (Improvisação, Piano Bossa Nova, Rítmica e Levadas Brasileiras para Piano), alguns dos quais publicados pela Editora Irmãos Vitale e com tradução em inglês.Ativo na cena musical como solista, músico de estúdio e arranjador, tem participado da gravação/produção de diversos discos. Em 2012, seu CD autoral “Interferências” ganhou uma versão japonesa. Seu segundo CD faz uma releitura moderna de algumas composições do sambista Noel Rosa.

Deixe uma resposta