A re-harmonização de uma melodia

A re-harmonização de uma melodia

A re-harmonização é uma das atividades mais desejadas por nós músicos! Queremos desvendar os “segredos” da harmonia para compor, improvisar… mas a re-harmonização é algo que nos atrai de forma especial!! Neste artigo fazemos alguns exemplos interessantes de re-harmonização no âmbito tonal.

O que é, afinal, re-harmonizar? Poderíamos dizer, de modo geral, que se trata de “vestir” uma melodia com outra roupagem, de dar outro sentido ao tecido harmônico ou à melodia. Isso pode significar tanto substituir um acorde aqui, outro ali, bem como mudar radicalmente a harmonia original.

Como re-harmonizar?

Existem várias maneiras de fazer isso, que podemos dividir em dois grandes grupos:

  1. re-harmonizações tonais;
  2. re-harmonizações não-tonais.

Ensino essas técnicas no Curso Online de Harmonia Aplicada à Música Popular.

Vamos fazer aqui alguns exemplos de re-harmonização tonal enriquecendo a harmonia original de uma música famosa. Para isso, vou usar apenas dois tipos de acordes: diminutos e SubV7.

Para nossa atividade, escolhi o começo da música Misty, do pianista Erroll Garner. Vamos trabalhar apenas com os primeiros quatro compassos da música, que já nos oferecem opções muito interessantes.
A partir da harmonia original, vamos, gradativamente, colocando os acordes que nos permitem enriquecê-la. Vamos assistir ao vídeo que preparei para isso:

Misty (Erroll Garner)

Curso Online de Harmonia - Módulo 1

Analisando passo a passo:

1. Início do tema com os acordes originais:

 

2. Inserimos um acorde SubV7 interpolado: A7(#11). Observamos que as notas iniciais do tema podem ser harmonizadas através do acorde V7/I: Bb7

 

3. Inserimos agora um acorde diminuto auxiliar: Ebº

 

4. Acrescentamos agora outro acorde SubV7 interpolado: E7(b13). Observe também as cores do primeiro acorde Bb7: coloquei diferentes tensões, o que enriqueceu o tecido harmônico. A partir desse exemplo, temos já uma harmonia muito rica.

 

5. Acrescentamos agora um acorde diminuto dominante antes do Bbm7 do terceiro compasso: Aº. Mantemos todos os acordes anteriores. Aos poucos, a harmonia veio adquirindo uma sonoridade jazzística.


Bom, espero que tenham gostado de como a harmonia evoluiu nesses exemplos. Para saber mais visitem a página do Curso Online de Harmonia Aplicada à Música Popular.
Até a próxima!

 

Turi Collura é pianista, compositor, músico profissional. Atua como professor em Cursos de Pós-Graduação, em Conservatórios e Festivais de música pelo Brasil e no exterior.Formado na Itália em Disciplinas da Música (Bolonha) e na Escola de Jazz (Milão), é Mestre pela UFES, e Pós-graduado pela mesma Instituição.Turi é Coordenador Pedagógico do Terra da Música e Professor de alguns cursos online. É autor de métodos em livros e DVD (Improvisação, Piano Bossa Nova, Rítmica e Levadas Brasileiras para Piano), alguns dos quais publicados pela Editora Irmãos Vitale e com tradução em inglês.Ativo na cena musical como solista, músico de estúdio e arranjador, tem participado da gravação/produção de diversos discos. Em 2012, seu CD autoral “Interferências” ganhou uma versão japonesa. Seu segundo CD faz uma releitura moderna de algumas composições do sambista Noel Rosa.

Deixe uma resposta