Viajando com o seu instrumento

Viajando com o seu instrumento

Você toca um instrumento musical? Provavelmente já se deparou com a necessidade ou com o desejo de levar o seu “querido amigo” em uma viagem aérea. Veja algumas experiências de viagem e as normas recentes das companhias áreas brasileiras.

Já viajou ou pretende viajar de avião levando o instrumento musical? A não ser que você toque flauta, cavaquinho, pandeiro ou qualquer outro instrumento de pequenas dimensões, é bom você conhecer como fazer isso, pois a questão é um pouco mais complicada.

Se houvesse uma regra geral para todas as companhias aéreas, saber como se portar seria fácil. Mas, infelizmente, isso não acontece. Muitas vezes as condições de transporte para os instrumentos não são claras e, na maior parte das vezes, dependemos do bom humor, da interpretação do momento e da boa vontade dos funcionários das companhias aéreas.

Viajar com o próprio instrumento

Recentemente, a British Airways impediu que uma violoncelista embarcasse com seu violoncelo porque o mesmo não possuía visto. “Aconselho a todos os músicos a evitar a British Airways. Nunca mais voarei com eles”. Esse foi o desabafo da violoncelista Jane Bevan, depois de ter tido a surpresa de saber que não poderia viajar com seu instrumento porque o mesmo não possuía um visto. Jane, que deveria voar de Zurique a Baltimore, tinha reservado um lugar para seu violoncelo e havia avisado à companhia aérea que voaria com o mesmo. Mas, no momento do embarque, os funcionários da British Airways se recusaram a fazer entrar a bordo seu instrumento dizendo que a reserva havia sido feita para um passageiro, e não para um violoncelo.

E diante da falta de um visto para o instrumento, pediram a Jane para reservar um outro voo que custava mais de 4.000 dólares e não lhe ofereceram nenhum reembolso ou compensação.

Essa não foi a única reclamação e foi feita uma petição para que a British mudasse as regras de transporte. O fato é que não existe uma unidade nessas regras e o conselho é sempre se precaver para que episódios como esse não transformem sua viagem em um pesadelo.

Se você for voar com a AirFrance ficará na dúvida sobre o que irá acontecer com o seu instrumento. Veja o que eles (não) informam:

(clique aqui para visitar a página do site)

“Essas bagagens especiais podem ser transportadas consigo em suas viagens, contanto que respeitem determinadas regras de transporte”.

O que dizem as companhias aéreas do Brasil

Em seu site, a GOL informa que:

É permitido embarcar levando instrumentos musicais na cabine, desde que eles não ultrapassem 5 kg e as dimensões da franquia de bagagem de mão. Caso contrário, o instrumento deverá ser despachado. Ele será pesado e entrará no limite da franquia de peso que cada cliente pode viajar. O volume será aceito somente em case rígido, apropriado para o respectivo instrumento.

As exceções são berimbaus e violoncelos, que podem ser transportados na cabine e ocupar uma poltrona. Para isso, o cliente deve pagar por este assento extra.

(clique aqui para visitar a página do site)

A LATAM define regras de transporte parecidas em seu site:

Você pode levar na cabine instrumentos musicais pequenos, que não excedam os limites de bagagem de mão. Eles devem ser transportados em estojos próprios.

Instrumentos musicais maiores ou que não cumpram com as medidas estabelecidas para bagagem de mão devem ser transportados no compartimento de carga.

Seu instrumento poderá ser acomodado no assento, de acordo com as seguintes condições:

  • Você deve fazer uma reserva prévia de assento adicional, na mesma tarifa e classe da sua passagem, sem direito a mais uma franquia de bagagem despachada.
  • O peso máximo permitido é de 75 kg (em voos operados pela LATAM Airlines Brasil ou pela LATAM Airlines Paraguay, o peso máximo para transporte de instrumentos musicais na cabine é de 45 kg.

Violoncelo

Para o transporte do seu violoncelo, você deverá necessariamente reservar um assento adicional para acomodá-lo. Alternativamente, o instrumento pode ser transportado como carga. Para efetuar a reserva de assento adicional para o instrumento na cabine, entre em contato com antecedência com a Central de Vendas, Fidelidade e Serviços.

Violão

Para levar seu violão a bordo, ele deve estar acondicionado em um estojo flexível. Se você tem apenas um estojo rígido, ele deverá ser levado no compartimento de carga.

Instrumentos são aceitos como bagagem despachada desde que não excedam o limite das dimensões estipulado para a região. Instrumentos maiores devem ser transportados pela LATAM Cargo. Seja como bagagem despachada ou como bagagem de mão, recomendamos, como medida de precaução, que você leve instrumentos em contêineres especiais para elementos frágeis. No transporte de bagagem não nos responsabilizamos por eventuais danos.

(clique aqui para visitar a página do site)

instrumentos embarcados em viagem aerea

O que recomenda a AZUL (clique aqui para visitar a página do site)

Exemplares pequenos podem ser levados como bagagem de mão. Porém, os de tamanho maior, devem ser transportados no porão da aeronave ou em um assento adicional (comprado separadamente) dentro da cabine de passageiros.

Você resolveu embarcar a sua preciosa guitarra e agora está com medo que quebrem o seu instrumento?

O dano a um instrumento transportado na estiva não é apenas medo ou fantasia. Isso acontece sim, na vida real.

Um episódio de instrumentos embarcados no avião que se tornou bastante conhecido foi o que aconteceu com a companhia norteamericana United Airlines. O músico Dave Carroll, até então desconhecido, tornou-se bastante famoso pelas suas músicas em que conta a história do seu violão quebrado. Buscando o lado positivo do acontecimento, mais recentemente, o músico conseguiu tirar proveito do acontecimento publicando também um livro.

Para visitar o site do artista clique aqui.

Despachando seus instrumentos

Viagem internacional com segurança e criatividade

Uma vez que um instrumento despachado conta como uma bagagem, e considerando que o cliente pode levar apenas dois volumes, transportar duas guitarras implica em certa dificuldade para levar suas roupas e outros pertences pessoais. Mas há sempre espaço para a criatividade! Recentemente, um músico vindo da Europa ao Brasil, comprou duas malas baratas, as cortou na parte superior, enfiou dentro delas os estojos originais das guitarras, colocou suas roupas e outros objetos pessoais, adaptou uma caixa de isopor na parte de cima e fechou as malas com muita película transparente. Ao sair do Brasil, repetiu a mesma operação, conseguindo embarcar tranquilamente, levando até presentes para a família.

Antes de voar

Se estiver planejando levar o seu instrumento em uma viagem internacional, procure se informar sobre as leis daquele país.

Boas viagens!

Formado em música pela Escola Superior de Música de Lisboa, atuou como baterista profissional por muitos anos. Radialista por paixão, foi diretor artístico do Cassino de Lisboa. Atua como crítico musical e produtor.

Deixe uma resposta